domingo, 22 de setembro de 2013

O meio do caminho

A maioria das viagens é assim... tem começo, meio e fim. Primeiro você pensa... planeja... se organiza. Decide para onde quer ir. Faz roteiro, guarda dinheiro, arruma as malas e finalmente embarca! No começo é tudo meio estranho... por mais que seja um lugar maravilhoso que você sempre quis conhecer, leva um tempinho até você se situar e começar a aproveitar de verdade. Pelo menos para mim é assim, por mais que se aproveite ao máximo desde o início, é lá pro meio do caminho que uma viagem começa a revelar seu real sentido, a justificar tudo o que foi feito para que se chegasse até ali. Estou neste momento: no meio do caminho de uma viagem que, como todas as outras, um dia acaba para que outra comece. É sobre isso que vou escrever hoje depois de tantos meses de ausência, que também se justificam pelo embarque nessa viagem inesperada!


A foto dispensa qualquer analogia que eu faça daqui em diante... estou grávida, minha gente! Cinco meses e meio! Vinte e duas semanas, praticamente a metade do caminho previsto até o fim dessa "viagem", já que a gestação completa dura entre trinta e oito a quarenta semanas, se não me engano. Viagem longa! Viagem louca! Maravilhosa e insana ao mesmo tempo! É como se, do nada, alguém virasse e falasse: larga tudo que agora você vai dar a volta ao mundo!!! Um sonho, né? Mas... e todas as outras viagens que você havia planejado? Aquelas, menos ousadas, mas que já estavam com roteiro traçado na sua cabeça e que tinham se tornado sua meta de vida??? Só agora, depois de cinco meses, é que consigo ter a clareza necessária para responder a todas essas perguntas! Vamos, então, ao meu "relato de viagem" dessas vinte e duas semanas de "volta ao mundo"!

Pense em uma viagem pra Disney! Para mim, um destino incomparável! Quando fui, cheguei no Magic Kingdom e tive uma crise de choro compulsiva aos pés do Castelo da Cinderela! Isso se justifica pela minha história de vida, pelas minhas lembranças da infância, por aquilo tudo que significava pra mim estar ali! Se eu fosse hoje de novo pra lá, choraria de novo, certeza! Por outro lado, conheço pessoas que nem cogitam ir pra Disney nessa vida, que não curtem, que nunca idealizaram isso, que não têm interesse mesmo! Ou aqueles que foram só pra aproveitar as compras em Orlando, até deram uma passada em um ou outro parque, mas sem nenhum tipo de emoção relacionada ao fato de estarem na Disney! Fora aqueles que vão tooodo ano porque simplesmente amam aquele lugar (e são ricos rs)! Normal, cada um tem um jeito de viver esse e qualquer outro tipo de experiência, nenhum deles está certo ou errado, adequado ou não! Pelo menos essa é minha forma de enxergar as coisas!

Obviamente, nada se compara a essa "viagem" a qual estou me referindo, mas esse é um meio de responder às perguntas que passei a me fazer logo depois que descobri que já havia embarcado - sem saber! - nessa "volta ao mundo"! Um milhão de pessoas podem fazer essa mesma viagem, percorrer esse mesmo caminho, um milhão de vezes... mas ele NUNCA vai ser, para mim, o que foi pra você ou pra alguém que você conheça. As sensações são diferentes, a realidade de cada um é diferente, as experiências trazidas até aqui são exclusivas de cada viajante, o que faz com que essa jornada seja única para cada um! Até aqui, foram vinte e duas semanas de muitas cobranças por parte de quem nem está viajando comigo, mas sempre faz questão de dar um pitaco no meu "roteiro", o que é absolutamente normal em qualquer viagem! Mas o que - é claro - não vai fazer com que eu mude o meu jeito de viajar!

Nesse meu relato, o que posso dizer agora, que cheguei no meio do caminho, é que é possível SIM dar essa "volta ao mundo" sem deixar tudo pra trás. É claro que muita coisa muda quando a gente se propõe a encarar essa trip louca, o que não significa que não se possa colocar na bagagem tudo aquilo que foi trazido de outras viagens para aproveitar cada trecho do roteiro do seu jeito. Nada de "excursão" ou pacote fechado com um guia dizendo "faça isso, faça aquilo", "veja isso, veja aquilo". Com a personalidade que todo bom viajante adquire com o tempo, é possível sim viajar do seu jeito e continuar sendo você mesmo seja estando na Disney, na África, no Japão! Acompanhado ou não!

Por mais umas boas semanas vou estar sempre acompanhada! É a Luísa quem está aqui comigo para me ensinar a descobrir um jeito novo de viajar! Ela que - sem eu saber - já estava comigo em Londres, em Paris e na Suíça nas minhas últimas férias! Que vai estar comigo daqui duas semanas, em Miami! E que, depois que nascer, em janeiro, vai me acompanhar em muitas outras viagens... em tantas outras, vai estar apenas me esperando voltar. Isso até que ela descubra seu próprio jeito embarcar nas viagens que a vida coloque em seu caminho! Sejam elas "around the world" ou simples "bate-volta" daqui ali. O importante é que ela saiba, desde já, que nenhuma viagem é fácil... mas que todas valem a pena se você souber tirar o melhor de cada uma!

Nessa viagem que é só minha, sigo levando o blog na bagagem, só me afastei nas últimas semanas pra "assimilar" esse embarque inesperado na minha "volta ao mundo". Não quero transformá-lo num blog de "viagens com filhos", a proposta dele continua sendo a mesma, mas inevitavelmente haverá um ou outro post sobre esse tema! Fora isso, quero seguir com as idéias e relatos de passeios pra quem trabalha muito e ganha pouco! Sugestões para quem sabe que o importante é estar sempre na estrada... seja para qual destino esse caminho vá levar!

Um abraço e até a próxima!