quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Relato de viagem - Santiago


Este é o primeiro relato de viagem que eu escrevi para o Mochileiros.com, logo depois de voltar do Chile, em 2011. Está bem sucinto porque, nos blogs de viagem que eu consultava, sentia falta de algo resumido que falasse o básico: o que vale a pena e o que não vale, a prestação dos serviço, a locomoção nos lugares! Então não é um relato descritivo, fiz por tópicos para facilitar e acrescentar ao que já existia lá no Mochileiros! Indicado para quem já leu pelo menos um pouco a respeito da história e dos pontos turísticos do Chile e busca mais referências sobre eles! Para consultá-lo, é preciso levar em consideração a época do ano, a sorte ou o azar na prestação de cada serviço e o perfil de cada viajante! Boa leitura!



PARA COMEÇAR:

QUEM SOMOS: um casal de trinta e poucos anos, sem filhos, que gosta de esportes, aventura, lugares históricos, culturas diferentes, baladas, bons restaurantes e bons descontos em compras.

QUANTO TEMPO TIVEMOS: 9 dias (da madrugada do dia 5 â madrugada do dia 14 de agosto de 2011)


É BOM SABER:

SOBRE A LÍNGUA: Não há razão para se preocupar com a fluência em espanhol para viajar para o Chile. Eu estava meio preocupada com isso porque estudei espanhol básico há muuuuito tempo e já não lembrava muita coisa, mas nem foi preciso: falei o bom e velho "portunhol" foi suficiente! Meu marido SÓ falou português e a grande maioria dos chilenos entende se falarmos devagar, assim como nós conseguimos entender tranquilamente o espanhol deles desde que falassem não muito rápido! Fora que, no Chile, tem MUITO brasileiro, então quanto a isso nao há com que se preocupar!

A MOEDA: em média, cada 1.000,00 pesos chilenos equivalem a R$ 3,50 (dado de agosto de 2011). Parece simples, mas na hora das compras me fez muita falta uma calculadorazinha de mão sabem, para saber exatamente quanto se está gastando. Nos últimos dias já estávamos craques, mas como fizemos compras logo no primeiro dia de viagem, quase enlouquecemos em fazer cálculos de cabeça, então fica a dica para quem - como nós - não levar celular: arranjar uma calculadorazinha! Isso, é claro, para quem nao é tao bom em matemática (eu sou um fracasso!).

BAGAGEM: não me conformo até agora por não ter me dado conta disso... o limite de bagagem para o Chile é de 23 quilos por pessoa... quando embarcamos em Guarulhos já estávamos cinco quilos ACIMA desse limite!!!!! Ou seja, ferrou né... chegamos em Santiago e ao ver os preços absurdamente mais baixos se comparados ao Brasil, queríamos cortar os pulsos! Enfim, a dica importantíssima: mesmo sabendo do frio chileno, levem poucas roupas, comprem tudo lá! Quando fui para Miami fiz isso, já pra Santiago eu não tinha noçao do quando valeria a pena comprar coisas lá!


A VIAGEM

DIA 05/08

TRANSPORTE DO AEROPORTO PARA O HOTEL: há muitas dicas dos mochileiros sobre formas de economizar com esse transporte, como a Transvip, por exemplo, uma empresa de vans que se dividida entre várias pessoas sai mais barato, mas como chegamos por volta de duas da manha e estávamos em apenas duas pessoas preferimos um táxi. Logo no desembarque há um guiche escrito "Táxi Oficial", que é o mais indicado. Eu preferi entrar em contato antes por email com um taxista indicado por amigos para que ele já nos esperasse no desembarque. Deu super certo e chegamos tranquilos de que haveria alguém esperando! Como levamos dólares para depois trocarmos por pesos chilenos, combinamos com ele e ele aceitou o pagamento em dólar. A corrida do aeroporto até nosso hotel no bairro Paris-Londres saiu 30 dólares (ou 15.000 pesos chilenos). Para quem se interessar, o nome do taxista é Maurício Rojas: 09-9-428 4527 ou maurirojas@gmail.com, ele responde de pronto os emails!
Vegas Hotel - bairro Paris-Londres

O HOTEL: Para mim, um hotel tem que ser: 1) limpo; 2) bem localizado; 3) preço justo. Por isso escolhemos o Vegas Hotel, no Bairro Paris-Londres, centro histórico de Santiago. Perto de tudo, inclusive da estação de metrô Universidad de Chile. Apesar de ser um três estrelas, o hotel é um charme, arquitetura colonial, decoração também de época, tudo muito limpo! Reservamos tudo por email sem problema nenhum, pagamos por dia 61 dólares pelo que eles chamam de quarto matrimonial (apenas uma cama de casal) com café da manhã incluso. Foi na medida para nós, exatamente o que precisávamos! Cama macia, banheiro ajeitado, limpo, chuveiro bom, água quente, calefação no quarto, armário, saleta com janelas viradas para a rua charmosa do centro histórico, café da manha bem simples mas limpo e gostoso... enfim, tudo de bom! O único "porém" desse hotel para quem tem sono leve é um barzinho que tem bem ao lado, nossa janela ficou virada para ele, por isso ouvíamos a música que toca lá de quinta a sábado, para quem se incomoda com som esse sem dúvida é um problema, mas não foi para nós, as outras vantagens do hotel compensaram esse leve incômodo! Segue então o contato: Vegas Hotel - R. Londres, 49 (56-2) 632-2514 - http://www.hotelvegas.cl.

Shopping Parque Arauco
SHOPPING PARQUE ARAUCO: Decidimos deixar o primeiro dia para compras no Shopping Parque Arauco (http://www.parquearauco.cl). Vimos no site que há um ônibus que percorre vários hoteis e leva os turistas de graça até o shopping. Um desses hotéis é o San Francisco, praticamente ao lado do nosso hotel! Fomos até lá no horário que está indicado no site, 9h00 da manha! Aí deu 9h20, a gente congelando de frio e nada do tal ônibus! Como estávamos do lado da estação de metrô, resolvemos ir de metrô! É claro que logo que saímos da frente do hotel, quando olhamos pra trás, adivinhem... o ônibus estava passando!!!!!!! Enfim, esse ônibus existe mesmo, é só ver no site do shopping os horários em que ele passa e ter paciência porque não é pontual! Nós perdemos esse ônibus mas no final foi bom... vimos pelo metrô que o shopping é distante do nosso hotel, de ônibus levaríamos muito tempo, de metrô foi rapidinho até a estação Escola Militaire. Descemos nessa estação e de lá pegamos um táxi até o shopping, pouco mais de mil pesos chilenos foi o táxi, baratinho porque não é longe da estação! Chegando no shopping ficamos deslumbrados! É lindo e enorme! Lojas imperdíveis: Fallabella, Ripley e Paris! Várias marcas top de linha dentro de cada uma dessas lojas e preços simplesmente incríveis! No terceiro piso, não deixem de ir na Casa e Idéias, simplesmente AMEI essa loja!

Parede de escalada do Mall Sports
MALL SPORTS:: do Parque Arauco pegamos um táxi - também por pouco mais de 1.000,00 pesos chilenos - para o Mall Sports, um shopping só de lojas de artigos esportivos. Os preços não são lá aquelas coisas, mas para quem gosta de esportes, super vale a visita! Fora que esse shopping tem pista de patinação no gelo, parede ENORME de escalada e uma onda artificial onde se pode surfar de verdade! Como nesse dia estava muito frio, não tinha nenhuma aula de surfe agendada, por isso ficamos de voltar outro dia já que meu marido é surfista e queria muito surfar essa onda (desça até o relato de sexta-feira, 12/08 que vc vai ver os detalhes).



ÔNIBUS EM SANTIAGO: Para viajar de ônibus do transporte coletivo em Santiago é preciso ter um cartão, não dá pra pagar a passagem em dinheiro dentro dos ônibus, tanto que nem tem cobrador! Maaaas nós desavisados resolvemos ir de ônibus do Mall Sports até uma estação de metro e eis que o motorista simplesmente falou que tudo bem de viajarmos sem pagar, olhem só! É claro que foi uma exceção visto que ele percebeu que estávamos desavisados! Então fica o toque, para viajar de ônibus, precisa antes comprar um cartão!

SHOPPING APUMANQUE: Esse é um shopping menor e mais popular que os outros de Santiago, mas que também tem coisas bem bacanas. Não tem grandes lojas de redes e marcas conhecidas como o Parque Arauco, mas para quem quer ver coisas mais simples vale a visita! Comprei gorros e luvas por preços bons nesse shopping, que fica em frente à estação Manquehue do metrô! Aliás, vou criar um tópico aqui abaixo sobre o metrô!!!!

METRÔ EM SANTIAGO: Um grande aliado para os turistas que visitam Santiago - o metrô! Logo nesse nosso primeiro dia na capital santiaguina notamos isso, como é fácil se locomover no metrô! É claro que ele não chega a todos os lugares, mas por exemplo, aos shoppings... vc vai de metrô até o máximo que puder e só depois pega um táxi! Vai gastar muito menos do que se pegar um táxi em todo trajeto, do hotel até o shopping! Fizemos isso todo o tempo, usando o metrô o máximo que pudemos! Em horários de pico, como em toda grande cidade, é lotado, mas nada que não dê para encarar!!!! Recomendo!

Detalhe do mezanino do restaurante "Como Água para Chocolate"

torta tricolor com geléia de framboesa
RESTAURANTE COMO ÁGUA PARA CHOCOLATE: O melhor restaurante de Santiago, sem dúvidas! Todo charmoso, ambiente rústico, decoração sem igual e a comida... ah a comida! MARAVILHOSA! Nosso primeiro jantar em Santiago foi inesquecível! É preciso fazer reserva porque é concorridíssimo! Não é barato, mas vale cada centavo! Anotem o site: http://www.comoaguaparachocolate.cl. Para chegar lá é fácil: é só descer na estação de metrô Baquedano, andar uns dez minutinhos até a rua Constituicion e pronto! Nem precisa de táxi!

PISCO SAUER: Foi no restaurante citado acima que o conheci. A bebida típica do Chile: pisco sauer! Maravilhoso! Não deixem de experimentar!

DIA 06/08

Palácio La Moneda
CAMBIO DE GUARDA LA MONEDA: Nosso segundo dia em Santiago foi para conhecer os pontos turísticos e o primeiro deles foi o Palácio La Moneda, é o palácio do governo de lá. Em frente a esse lugar, a cada dois dias, tem a troca da guarda! Em agosto deste ano foi nos dias pares, mas dando uma busca no Google é possível achar em quais dias acontece essa cerimônia! Chegamos um pouco antes para garantir um bom lugar e tirarmos fotos do prédio e dos arredores, que são lindos! Um jardim maravilhoso está bem em frente e as calçadas que circundam são um charme, entre bancos e postes de luz no estilo colonial, ótimo lugar para tirar fotos! A troca da guarda acontece pontualmente às 10h00 e é uma cerimônia bonita de se ver, com música, cavalaria, marcha, vale a pena!!!!!! Depois da cerimônia, entramos no Centro Cultural La Moneda, que fica embaixo do prédio, mas nao é nada de mais, dispensável!

"Cafe con Pernas" - Passeo Ahumada
PASEO AHUMADA: No caminho do Palácio La Moneda para a Plaza de Armas, passamos por essa rua que é um calçadão! Eles chamam de "paseo" as ruas que são de pedestres, fechadas para o trânsito de veículos, como um calçadão mesmo! Além da Paseo Ahumada tem outra paralela, cheia de gente e comércio de todo o tipo! Na Paseo Ahumada, tomamos o tradicional "Cafe con Pernas"! O que é isso: um estabelecimento que vende vários tipos de café e nada mais, mas que tem como diferencial garçonetes vestidas com saias curtíssimas, com as pernas totalmente de fora! Por isso o nome: "café com pernas"! O café é muito bom e o ambiente diferente! Como, para mim, viajar é conhecer os costumes locais, essa é parada obrigatória!!!!


Detalhe do prédio do Correo Central - Plaza de Armas
PLAZA DE ARMAS:: Na seqüência do calçadão da Paseo Ahumada, logo nos deparamos com a Plaza de Armas, é impossível não reconhecer! Ali estão vários prédios históricos e importantes: a Catedral Metropolitana (vale entrar pra ver, maravilhosa por dentro e por fora!), o Correo Central, a Municipalidad de Santiago e o Museo Histórico Nacional. Sobre o museu, o que resolvi fazer: como Santiago tem MUITOS museus, elegi alguns que, pelo que pesquisei, valiam mais a pena conhecer. Se fosse para ir em todos tomaria muito tempo e também seria um saco! rsrsrs Então escolhi aqueles que mais retratam a história do Chile e o Museo Histórico Nacional é um deles! A entrada custou $ 600 por pessoa e realmente valeu a pena, mostra toda a história desse país com coisas que nem imaginamos!

MUSEO CHILENO DE ARTE PRECOLOMBINO: É uma rua abaixo da Plaza de Armas e vale MUITO a pena conhecer! Foi outro dos museus que elegi para entrar e visitar. Acertei em cheio, é incrível! A entrada é mais cara, 3.000 pesos chilenos, mas nao sei por qual motivo nesse dia não pagamos nada pra entrar! Adorei o lugar, tem peças inimagináveis!

Garçom cortando a centoia - Mercado Central
MERCADO CENTRAL: Na continuação da rua onde fica o Museo de Arte Precolombino está o Mercado Central, é só ir perguntando que vc chega lá! Visita obrigatória. Apesar de ser um mercado de peixe como outros que temos no Brasil, é uma marca da cultura santiaguina porque tudo no Chile são frutos do mar! Várias barracas com peixes frescos podem dar náuseas nos mais enjoados - o que não é meu caso! - mas a variedade impressiona! Lá dentro também há vários restaurantes e já sabíamos que o "Donde Augusto" é o mais tradicional... mas também o mais caro (caríssimo, aliás)! Olhando, conversando e pesquisando, elegemos o restaurante "Tio Lucho" para almoçarmos a tradicional Centoia por um preço mais em conta! É o prato típico do lugar e não podíamos deixar de provar! Valeu a pena! Muito, muito bom para quem gosta de frutos do mar como nós!

Uma das escadarias do Cerro Santa Lucía

CERRO DE SANTA LUCÍA: Depois do almoço no Mercado Central, caminhamos até o Cerro de Santa Lucía, também nas proximidades do nosso hotel. Logo que nos aproximamos vimos as escadarias! Que lugar maravilhoso! Uma construção única, com paradas para admirar a vista a cada lance de escada! São muitos degraus SIM, mas nada que o mínimo de condicionamento físico não permita encarar a chegada até topo! Nesse dia o céu estava meio encoberto... ainda assim valeu a vista de toda a cidade e de parte da Cordilheira dos Andes! Uma dica: separe no bolso uma moeda de 100 pesos para colocar na luneta que permite a visão aumentada de cada detalhe dessa vista maravilhosa!

PARQUE FORESTAL: Saindo do Cerro de Santa Lúcia por trás, está o Parque Forestal. Arborizado e bonito, ótimo para uma caminhada!!!! Uma curiosidade desse parque é que tem uma biblioteca onde se pode alugar livros para ler no parque! Bem bacana!

PÁTIO BELLA VISTA: Depois de bater perna o dia inteiro, a noite nosso destino foi o Pátio Bella Vista, no bairro Bella Vista, point dos barzinhos de Santiago (http://www.patiobellavista.cl)! Tínhamos passado por lá um dia antes, a caminho do restaurante "Como Água para Chocolate", e decidimos que nosso sábado a noite seria em uma das baladinhas desse lugar que tem vááários bares, pra todos os gostos, além de lojinhas e espaços culturais! Escolhemos o bar Back Stage (http://www.bksexperience.com). Pisco sauer maravilhoso, chopp do bom, petiscos ótimos e música de primeira! Recomendo!!!! Para chegar lá também fomos de metrô, descendo também na estação Baquedano! Já na volta, de madrugada, não tem jeito... tem que ser de táxi!

07/08

Girafa no zoológico do Cerro San Cristobal
CERRO SAN CRISTOBAL: O dia amanheceu com céu limpo, por isso esquecemos tudo que havia antes no roteiro e fomos direto para o Cerro San Cristobal, de onde o bom tempo nos permitiria uma vista maravilhosa! Pra chegar é também pelo metrô, descendo na estação Baquedano, caminhando pela Rua Constituicion até o fim, sai no Cerro San Cristóbal! Muito bacana pegar o funicular (uma espécie de bondinho sobre trilhos, como do Cristo Redentor no RJ) e ir até o zoológico! Gostei muito desse zoo! De lá é só embarcar de novo no funicular e ir até o topo do cerro! Vista linda, clima incrível, uma santa padroeira no topo, visita indispensável, obrigatória!!!!! Separe mais que uma manhã toda para esse passeio, leva tempo e cada minuto é bem aproveitado!

MUSEO LA CHASCONA: A casa de Pablo Neruda em Santiago é numa rua quase sem saída, escondidinha mesmo, mas bem na descida do Cerro San Cristóbal, é só perguntar, é coladinho mesmo com o cerro! É uma graça, tem uma lojinha e uma cafeteria na entrada, onde se vende o bilhete para entrar no museu a 2.500 pesos chilenos. O problema é que não se tem visitas a toda hora, são horários determinados e como na hora em que fomos faltava muito para a próxima visita monitorada, não entramos! Até porque me disseram que muito do que se tinha nessa casa foi perdido em terremotos, claro que ainda assim deveria ser bacana, mas não entramos. Mesmo assim, vale pelo menos uma passada por lá... em frente â casa tem uma espécie de uma praça com vigas de concreto que tem frases do Neruda, bonito de se ver!

BARRIO BELLA VISTA: Na saída do museu acima, aproveitamos para passear pelas ruas desse bairro cheio de bares e agitação! É uma passadinha só para apreciar as ruas e os bistrôs espalhados por todos os lados!

EMPÓRIO LA ROSA: No Mochileiros li muita gente recomendando o sorvete desse lugar. No dia em que fui no Cerro de Santa Lucía eu procurei mas não achei o tal empório... insisti e na volta dos passeios da manhã paramos para o sorvete mais incrível que já provei! Empório La Rosa, na junção da Calle Mercedes com a Calle Monjitas, ao lado do Parque Forestal, perto também da Estaçao Baquedano, não deixe de procurar e provar! O que eu recomendo: uma bola de chocolate com laranja e outra de doce de leite! Bom demais, nenhum sorvete no Brasil é como o sorvete do Chile!

SHOPPING ALTO LAS CONDES: A ida a esse shopping nesse dia foi um acaso. Iríamos para um restaurante, mas não conseguimos a confirmação da reserva, então decidimos conhecer esse shopping que ficou faltando no dia que havíamos separado para as compras. Fica na região do Parque Arauco, um pouco mais distante. É um shopping mais "comum", mas também grande e bonito. Destaque para o supermercado Jumbo que tem dentro do shopping: vinhos baratíssimos! Isso fora tudo mais que se encontra por lá, o mercado é enorme! Aproveitamos pra comprar as coisas que levaríamos de lanche no passeio do dia seguinte! Para chegar nesse shopping fomos até a estação de metrô Escuela Militar e de lá pegamos um táxi até o shopping.

08/08

Estação de esqui - El Colorado

DIA DE NEVE: Estávamos ansiosos para conhecer a neve, mas deixamos para segunda-feira porque soubemos que aos fins de semana as estações de esqui ficam muito lotadas! Escolhemos ir primeiro em El Colorado porque pretendíamos fazer snowboard e El Colorado é mais indicado para iniciantes em comparação com outras estações de esqui, como não tínhamos nenhuma experiência, essa foi nossa opção!

SKI TOTAL: Pesquisamos várias operadoras que levam até as estações de esqui, tentamos inclusive a Sousa's Tour, indicada por ser mais em conta. Acontece que nos dias que queríamos a Sousa's não tinha os passeios que nos interessavam e depois ainda soubemos que a locação do traje para esqui era mais caro com a Sousa's, entao optamos pela Ski Total, a mais tradicional de Santiago. Para chegar lá é bem fácil, pegamos o metrô bem cedo até a estação Escuela Militar, três quarteirões a frente, na Avenida Apumanque fica a loja da Ski Total. Chegamos lá antes das 7h00 da manhã e, se soubéssemos, chegaríamos ainda antes! Já tinha gente lá esperando para alugar os equipamentos de neve. A dica é essa: chegar cedo porque fica lotado, com filas para tudo, nós fomos os terceiros a chegar lá, mas foi meio assustador ver um monte de gente chegando quase ao mesmo tempo, se não madrugar lá o bicho pega! Bom, locamos botas e prancha para snowboard, luvas, óculos e calça impermeável para neve (casaco tínhamos os nossos próprios, não precisamos locar). Contratamos também o transporte de ida e volta e compramos aula de snowboard com um instrutor. No total, eu e meu marido pagamos 90.000 pesos chilenos por tudo isso. Fomos num onibus que subiu as montanhas maravilhosas, cobertas de neve, parando primeiro em Farellones para o desembarque de parte do grupo e depois seguindo a El Colorado.

EL COLORADO: Não tínhamos experiencia nenhuma com neve e muito menos com snowboard, mas a impressão ao conhecer El Colorado é que lá é mesmo ideal para quem quer começar a aprender a esquiar ou fazer snow. Nessa estaçao de esqui tem pistas pequenas, intermediárias e um topo maior, mas para iniciantes é o ideal porque dá pra se arriscar até nas intermediárias. Fizemos aulas de snowboard na escola "El Zorro" e eu sinceramente não recomendo. Nosso instrutor era um francês que falava espanhol mas não conseguiu se comunicar conosco com facilidade como os chilenos... aprendemos apenas o básico com ele, mas desenvolvemos mais mesmo depois que terminou a aula, quando ficamos livres para treinar e arriscar por conta própria!!!! O valor que pagamos na Ski Total pela aula deu direito a ficar na pista de treinos e numa outra pista não muito grande, entao pagamos mais 10.000 cada um para subir de teleférico até o Mirante, onde tem um restaurante. Tomamos uma cerveja lá por 4.000,00 cada uma e depois meu marido desceu de snow! Ele tem experiencia com surfe e skate então foi mais fácil... já eu, desci com a prancha debaixo do braço só fotografando!!!! As paisagens são incríveis, a vista maravilhosa, a neve é algo indescritível para quem nunca tinha visto, como nós! Vale a pena e eu recomendo El Colorado para quem quer aprender a fazer esportes de neve!


09/08


Vista da janela da casa de Neruda - Valparaíso

VIÑA DEL MAR E VALPARAÍSO: Nossa ida ao litoral foi só no quarto dia de viagem propositadamente. Esperávamos encontrar nos dias anteriores pessoas que conhecemos no Mochileiros.com para racharmos uma van e economizar no passeio! Deu certo! Não tenho aqui os contatos da van que nos levou porque quem fechou esse serviço foi uma das nossas companheiras de passeio, a Juliana, mas não é difícil encontrar esse serviço por lá! O motorista da nossa van era super gente boa, no caminho parou em uma viña para nós conhecermos, na viña Santa Emiliana! Na época em que fomos, o vinhedo estava seco, afinal, é a época de friozão no Chile, mas ainda assim é lindo e vale a paradinha! Depois fomos para Valparaíso, uma cidade que sinceramente é feia, mas valeu a pena pela ida à Casa Museu de Pablo Neruda. Gente, não deixem de ir! Se não me engano a entrada custa em torno de $ 3.500 pesos chilenos. Não tem guia, em vez disso, os visitantes ganham um aparelho parecido com um telefone, aí vc disca o número do andar em que vc está e uma narração explica tudo o que tem em cada andar, é enorme, cinco andares com uma narração mega detalhada de cada objeto e cada ambiente do imóvel de veraneio do Neruda! E o melhor: tem opção de ouvir a narração em português! Bom né! Não fizemos mais nada além disso em Valparaíso, seguimos direto para Viña del Mar. Essa sim é uma cidade linda! Super florida e bem planejada, ruas bonitas, shoppings, cassinos! Almoçamos à beira mar e depois, mesmo com o friozão, andamos na praia e colocamos o pezinho no mar gelado do pacífico! Paramos também no lugar onde tem o Moai original da Ilha de Páscoa! Foi isso nosso dia de passeio, claro que nada comparado às opções de Santiago e à neve das montanhas, mas acho que não dá pra ir pro Chile e não conhecer Viña del Mar!

Moai da Ilha de Páscoa - Viña del Mar
RESTAURANTE GIRATÓRIO: Amei esse restaurante! Fica no topo de um prédio e o chão gira bem lentamente permitindo uma vista 360 graus da cidade! E a comida também é maravilhosa, comemos muito bem lá e o preço é mais ou menos o mesmo dos bons restaurantes de Santiago, não é barato mas vale o preço! Atendimento também foi nota 10! Depois de "Como Água para Chocolate", foi o melhor restaurante onde estivemos!

10/08

VIÑAS: Fiquei muuuito em dúvida em relação às viñas. O que li a respeito me deixou muitas dúvidas, por isso não sabia o que decidir. Como uma prima minha me disse que tinha amigos na viña Santa Carolina, ela me deu de presente uma visita exclusiva à essa viña, por isso nem pesquisei mais sobre as outras! Só não posso recomendar muito essa viña porque não sei como é o preço e o atendimento às pessoas que agendam visitas comuns. A nossa foi maravilhosa mas foi num esquema "vip" então a própria diretora de marketing nos acompanhou na visita monitorada e depois fizemos uma degustação com cinco tipos de vinhos diferentes além de vários petiscos! De qualquer forma, foi muito bom, o enólogo de lá é ótimo, saímos de lá nos achando os mais experts em vinhos! Só não posso comparar com outras viñas porque não pesquisei muito a respeito.

Vista do Cerro de Santa Lucía
CERRO DE SANTA LUCÍA (de novo): voltamos lá porque esse dia estava com céu bem mais azul do que no outro dia em que fomos. Valeu a pena! Com o tempo mais aberto, o contorno das cordilheiras fica lindo margeando o céu azul! Amei o cerro!

FERIA DE ARTESANATO DE SANTA LUCÍA: é bem em frente ao cerro, zilhões de lojinhas com zilhões de artesanatos! Tem bastante opção pra quem gosta de artesanato local!

PIZZARIAS E MERCADOS: Tem várias pizzarias na Passeo Ahumada, pertinho do nosso hotel. Como a noite desse dia antecedia um dia em que tínhamos que acordar cedão para ir esquiar, em vez de jantarmos fora, compramos uma pizza e levamos para o hotel! Ah, primeiro passamos num mercadinho também perto do hotel para comprar empanadas e água para levarmos no passeio às cordilheiras e aproveitamos para comprar um vinho! Resultado: pizza e vinho no quarto do hotel! É uma boa dica pra quem não quer sair a noite, quer gastar pouco e aproveitar para curtir a calefação do quarto do hotel!

11/08

Estação de esqui - Valle Nevado

VALLE NEVADO: Fomos mais uma vez pela Sky Total e de novo chegamos bem cedo para escolhermos o equipamento e sairmos nas primeiras vans para as montanhas. Como já tínhamos feito a aula de snowboard em El Colorado (e tinha sido um fracasso para mim), só alugamos o equipamento mesmo, mas eu escolhi o esqui desta vez! Aliás, para quem não tem experiência com esportes na neve, faça esqui! Mil vezes mais fácil!!!! Peguei as manhas sozinha, sem precisar de instrutor! Logo já estava descendo montanhas enormes, sério! Aliás, que montanhas! O Valle Nevado é mais caro que El Colorado mas vale a pena: é muito mais lindo e a estrutura de atendimento aos turistas achei bem melhor no Valle Nevado! Até nas pistas de aprendizado tem sistema de subida, é mais ágil, são vários teleféricos para vários níveis de dificuldade! Ah, uma coisa ruim em Valle Nevado e que nos demos mal: ao comprar as chaves dos lockers que são os guarda-volumes, uma vez fechado o armário, quando vc abrir seja pra pegar uma coisinha de nada, já perde a chave! Tipo, abriu perdeu, tem que pagar de novo pra guardar de novo as coisas no locker! Isso se tiver vaga, porque no nosso caso quando abrimos não conseguimos outra chave e tivemos que carregar a mochila o resto do dia! Fora isso foi tudo maravilhoso! Pra mim, o melhor dia da viagem! Descer a montanha de neves é viciante! Delicioso! E o Valle é lindo, agora que já conheço Santiago, na minha próxima ida ao Chile vou com certeza querer ficar hospedada no Valle Nevado!

PIMENTA: Esse é o nome do barzinho ao lado do nosso hotel! No dia pós neve, foi lá que ficamos e a dica - não só lá, mas em outros pubs de Santiago - é tomar cerveja artesanal! Deliciosa!

12/08

Cantinho charmoso do centro artesanal
CENTRO ARTESANAL LOS DOMINICOS - Li a respeito desse lugar mas não imaginava que era tão maravilhoso! Mil - aliás, um milhão! - de vezes melhor que qualquer outra feirinha de artesanato de Santiago! Tem centenas de lojas com muitas opções de TUDO que se pode imaginar. Para chegar lá é só ir até a estação final Los Dominicos, fica pertinho da estação, dá pra ir a pé! Recomendo, é um charme!


"Olla" - Mall Sports
MALL SPORTS (de novo): voltamos lá porque meu marido queria porque queria surfar a "olla", a onda artifical! Primeiro almoçamos na pizzaria que fica colada na "olla", é uma pizzaria meio natureba que também tem massas e outros pratos, preço razoável, pratos delicinhas! Compramos massa e ganhamos uma taça de vinho! Depois disso, meu marido comprou a aula de surf por cerca de R$ 60,00, dá direito a uma hora de aula! Agora atenção a quem - como o meu marido - surfa em praias reais: a onda artifical é totalmente diferente em termos de movimento para ficar de pé na prancha e surfar a olla! Meu marido apanhou! Mesmo assim curtiu e eu me diverti muito rindo e tirando fotos!!!!

PARQUE ARAUCO (de novo): esse shopping vale muito a pena gente, por isso voltamos lá no fim do dia e ficamos até a noite, lá é maravilhoso porque além das lojas tem música ao vivo e vários restaurantes, comemos numa creperia divina enquanto assistíamos ao show de música.

13/08

PARQUE DE LAS ESCULTURAS: Parque bonito e diferente pelas esculturas, vale a pena para um dia lightzinho como foi esse nosso último dia em Santiago!

Bom, essa foi a nossa viagem pessoal, espero poder ter ajudado em algo! O Chile é incrível, vale muito a pena, eu quero em breve voltar pra lá!!!!

Um grande abraço!
Até a próxima folga!

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Nasce uma viajante!


Minha família nunca foi de viajar. Primeiro porque acho que não se tinha o costume de guardar dinheiro para isso naquela época e também pelo fato dos meus pais sempre terem trabalhado como autônomos, não tinham férias uma ou duas vezes por ano como a maioria das pessoas. Então nossas viagens mais frequentes se resumiam a idas casuais até a praia. Tenho a sorte de ter nascido numa cidade bem próxima ao litoral sul de São Paulo, por isso ir para Bertioga era bem comum, mesmo que fosse de bate-volta.

Na praia pela primeira vez!
Também fomos algumas vezes para Trindade, perto de Paraty (RJ) porque meu pai morou lá um tempo, então voltamos juntos algumas vezes. Fora isso, íamos para Curitiba visitar meus tios e primas que moravam lá, mas não chegavam a ser viagens de turismo, era só mesmo para visitá-los. Na verdade acho que a única viagem que fiz como turista quando criança foi para Salvador (BA) com meus tios porque meu padrinho trabalhava numa companhia aérea e ganhou as passagens!

Enfim, viajar nunuca foi algo constante na minha infância. Depois, com amigos, namorados, até viajei algumas vezes, mas nada de mais, eram sempre idas a praias ou outros destinos próximos. Minha vida de “viajante” começou mesmo depois que conheci meu marido! Desde o primeiro ano juntos, ainda como namorados, nos planejávamos para viajar pelo menos uma vez por ano e passear em todos os fins de semana possíveis já naquele esquema: “porque tô de folga”! Eu já era jornalista quando nos conhecemos, então as escapadas nos fins de semana sem plantão para curtir algum lugar também começaram nessa época. 

Nossa primeira viagem foi para Búzios e Arraial do Cabo (RJ), 2005. Foi a primeira vez que pesquisei sobre um lugar antes de viajar, ainda assim foi uma pesquisa bem superficial... apenas li um pouco a respeito dos lugares, das praias, das pousadas. Nada de roteiro ou reservas antecipadas! Mesmo assim aproveitamos bastante, eram nossas primeiras férias juntos! Lembro que não tínhamos máquina fotográfica, pegamos emprestada da minha prima uma máquina que na época nem era digital, era daquelas com filme de 24 ou 36 poses. Chegando aqui revelei tudo, comprei um álbum com espaço para legendas e descrevi os lugares foto a foto. Acho que, sem querer, essa foi a primeira vez que fiz um relato de viagem, ainda que por meio das legendas!

Álbuns legendados
Esse esquema se repetiu na viagem seguinte, que já foi a lua-de-mel em Fernando de Noronha! Pesquisas antes de viajar, álbum de fotos cheio de legendas na volta! Quem via o álbum sempre se espantava com a quantidade de detalhes e com o quanto que eu escrevia! Em 2008 fomos para Orlando, nos Estados Unidos, e foi aí que me encantei com as possibilidades de fazer um planejamento detalhado de viagem para aproveitar ao máximo! Foram 13 dias para conhecer uma infinidade de parques e atrações em Orlando, li muito, participei de fóruns de discussão na Internet, consultei todos os sites e blogs que encontrei a respeito. Ainda assim não me senti segura para fazer meu próprio roteiro... contratamos esse serviço e foi a melhor coisa que fizemos! Sem o planejamento não teríamos conseguido aproveitar tanto!

Em 2009 fomos para o Rio Grande do Norte. A partir dessa viagem o que mudou foi que deixei de revelar fotos de viagem. Com as máquinas fotográficas digitais com uma memória capaz de armazenar milhares de fotos, passei a fotografar TANTO que batia a preguiça de selecionar aquelas que mereciam revelação. Fora que, com as redes sociais, os álbuns on line substituíram meus antigos álbuns de papel, com legendas ainda mais detalhadas que continuaram surpreendendo quem via! Eu adorava fazer isso!

Álbuns nas redes sociais
Nesse meio tempo fizemos pequenas viagens que não exigiram tanto planejamento: para Guarda do Embaú (SC)... para Ilha Grande (RJ)... para o litoral norte de SP. A viagem seguinte, em 2010, foi diferente de tudo porque foi um prêmio que meu marido recebeu no trabalho. Então foi necessário um planejamento bem menor porque viajamos com um grupo fechado e com programação definida para Cartagena das Índias, na Colômbia! Foi, enfim, no ano passado, que posso dizer que entrei para um mundo à parte dos viajantes! Antes de ir para o Chile pesquisei como nunca e fiz meu primeiro roteiro dia a dia, passo a passo, hora a hora, super detalhado! Na volta, escrevi meu primeiro relato de viagem e compartilhei no site dos Mochileiros. Fiquei abismada com a quantidade de acessos, de gente que leu, comentou, entrou em contato comigo! O mesmo aconteceu neste ano, 2012. Fomos em março para Las Vegas (EUA) e até hoje (novembro) eu não passo uma semana sem receber e-mails com comentários sobre o meu relato.

Enfim, tudo isso para explicar que ao contrário dos blogs de viagem que trazem conteúdo de uma infinidade de destinos, o “Porque tô de folga” é um blog de “gente normal”: uma pessoa que nunca foi acostumada a viajar mundo afora, que está longe de ser uma expert em turismo, que não tem informações técnicas a respeito dos destinos, que não tem grana pra simplesmente fazer uma reserva e embarcar... mas sim alguém que guarda dinheiro o ano inteiro para curtir as férias, uma viajante que descobriu por conta própria, pouco a pouco, como aproveitar ao máximo uma viagem e adora compartilhar essas experiências!

Beijos e até a próxima folga!