segunda-feira, 5 de maio de 2014

Post sem título!

Lá se vão seis meses desde meu último post aqui no blog! O bacana é que, mesmo sem escrever aqui há tanto tempo, as visualizações não param e continuo recebendo muitos emails sobre os relatos de viagem. Por isso, agora que estou oficialmente de férias, achei justo dar uma passadinha por aqui pra dar um sinal de vida! Não tenho nenhum roteiro mirabolante para compartilhar, nenhuma dica bacana pra dar, muito menos um dos meus relatos quilométricos pra postar… pelo contrário: esse é um post curtinho, só pra dizer que não falei das flores!


O tempo passa, a gente fica velho e finalmente aprende que aquela história de "nunca diga nunca" é seríssima! "Nunca" é muito tempo, impossível saber o que vai acontecer daqui um segundo que possa te fazer mudar de idéia! E o pior - ou melhor: tudo pode acontecer! Então, quando pensei nessa postagem, inicialmente o título seria "último post". Na hora em que digitei isso logo lembrei que nada nessa vida é definitivo, tudo muda o tempo todo… aí acrescentei três interrogações pra me sentir melhor: "último post???". Ainda assim achei pesado demais... por isso resolvi deixar sem título! Até porque no fundo - láaaaa no fundinho - eu sei que vou acabar voltando… mesmo que seja daqui mais seis meses!

Essa coisa de "último post" veio na minha cabeça porque, como já contei aqui, agora sou mãe! Minha filha já está com quatro meses e nesta segunda-feira partimos para nosso primeiro passeio com ela. Nunca antes na vida (olha o "nunca" aí me ferrando rs) havia imaginado como seria viajar com um bebê. Hoje sei que viajar é uma coisa. Viajar com um bebê é outra totalmente diferente! O roteiro, o planejamento, a bagagem, o tempo de estadia, a hospedagem, os passeios… tudo diferente! Por isso, nessas nossas primeiras férias com ela nem estou chamando de "viagem" o que vamos fazer… e sim de passeio! Um pouco do que eu penso sobre viajar com criança muito pequena o site Matraqueando - sempre perfeito pra mim! - expressou muito bem nesse post. Em resumo, tudo é absolutamente possível quando se fala em viagem, inclusive com bebês, mas são muitos os "poréns" que se deve levar em consideração, por isso optamos por um passeio mais light nessa primeira vez. 

Enfim, tudo isso pra dizer que os próximos roteiros e relatos daqueles que gosto de escrever devem levar um tempinho pra voltar aqui pro blog… o que não significa que eu não esteja na estrada, descobrindo outras formas de viajar! Isso até que a minha Luísa cresça um pouquinho e dê para voltar a pensar nas viagens de sempre!

Beijos e até a próxima! ;)


domingo, 3 de novembro de 2013

Estive "sei lá onde" e lembrei de você!

Uma fitinha de Nosso Senhor do Bonfim... um chaveiro da Torre Eiffel... um imã de geladeira com o rostinho do Mickey... uma miniatura do Cristo Redentor... ou uma fatídica camiseta com os dizeres: "estive em Fortaleza e lembrei de você"! Ser lembrado por alguém querido enquanto essa pessoa está viajando é claro que é uma delícia, mas... precisa mesmo comprar a tradicional "lembrancinha"? Nas minhas últimas férias pensei bastante a respeito e, nesse fim de semana, encontrar um saquinho com chaveiros que trouxe de Paris me fez bater o martelo sobre o que acho disso! Aproveitei a "deixa" para escrever sobre o assunto!


Meus dois últimos fins de semana foram de folga! Claro que, se eu pudesse, queria estar viajando ou pelo menos passeando aqui por perto mesmo, mas chega uma hora em que não tem mais como adiar as tarefas... e eu tinha MUITO o que fazer aqui em casa. Foram dois fins de semana de arrumações daquelas seríssimas: de tirar TUDO dos armários para me livrar - sem dó - daquilo que é inútil ou está velho ou não serve mais e pode ser usado por outra pessoa. O desapego foi geral! Já tinha feito isso muitas outras vezes, de tempos em tempos tenho esse costume, mas agora me superei e jurei pra mim mesma que não guardo mais nada que não seja absolutamente essencial! Seguindo essa pegada, me vi colocando na sacola de "coisas que não servem pra nada" uma infinidade de chaveiros... imãs de geladeira... miniaturas de tudo quanto é coisa... todo tipo de lembrancinha de viagem que ganhei ou que eu mesma comprei ao viajar pra algum lugar! Ok, muito bacana rever esses objetos, lembrar quem deu, pra onde essa pessoa foi e "lembrou" de mim, etc... mas, sem sentimentalismos, sendo curta e grossa: a maioria dessas coisas só serve para juntar poeira e ocupar espaço!!! Hahahahahah, vou ser (de novo) crucificada por esse post, tô até vendo!

Bom, vamos aos fatos. Acho que, conforme o tempo passa, a gente começa a ser mais seletivo... mais consciente daquilo que é ou não é importante na nossa vida. Acredito que isso seja uma etapa importante do amadurecimento, sei lá, enxergo assim! Chega uma hora em que você percebe que menos é mais, que não precisa ter ou guardar coisas por puro apego! Posso estar parecendo "dura" demais, insensível demais... afinal, uma lembrancinha é um "carinho" de quem viajou e fez questão de trazer algo pra você, não importa se não vai ter utilidade, é esse o raciocíno do senso comum, creio eu. Agora, tirando essa parte "fofa" da história, a real mesmo é que pouco do que se ganha de lembrança realmente vai ser bem aproveitado, salvo algumas exceções!!! Pensei bastante nisso durante minhas últimas férias quando, ao chegar aos pés da Torre Eiffel, me senti em pleno Pelourinho, em Salvador! Do mesmo jeito que, na Bahia, os insistentes vendedores de fitinha de Nosso Senhor do Bonfim se multiplicam, surgem do nada, em Paris aparecem os vendedores de chaveirinhos. Com a diferença de que o penduricalho de metal com a miniatura da Torre Eiffel é vendido em euro né! Agora me diz... como não comprar??? As pessoas esperam SEMPRE uma lembrancinha sua quando você viaja, infelizmente é cultural, difícil evitar.

Eu sofro um pouquinho com isso, não vou negar... nessa minha arrumação de armários, quando encontrei um saquinho com chaveirinhos que "sobraram", que acabei não dando pra ninguém, lembrei exatamente do pensamento que eu tive enquanto estava lá, em Paris. Comprei as lembrancinhas porque tinha que comprar, era esperado que eu comprasse... mas esse tipo de lembrança acaba sendo tão "impessoal", tipo, vai lá, compra um punhado de chaveiro - ou meia dúzia de miniaturas do cartão postal do lugar para onde você foi - e distribui para os conhecidos na volta! Acho isso péssimo, fica uma coisa meio que "sem alma" (eu odeio coisas sem alma rs)! Acho que uma coisa é viajar e ver um objeto que é simplesmente "a cara" de alguém que você conhece e comprar porque REALMENTE lembrou dela! Não comprar uma lembrança porque se vê praticamente obrigado de lembrar de todo mundo quando vai viajar! Afff ok, podem me chamar de insensível e me apedrejar agora!

Para tentar me "redimir", tenho alguns exemplos de "lembranças" que fogem a essa regra e que são sim muito bacanas! Meu irmão morou seis meses na Dinamarca e durante um mês viajou pela Europa antes de voltar para o Brasil. Esteve em lugares incríveis, inusitados e em outros bem "óbvios", como Paris mesmo. Ele bem que poderia ter comprado um punhado de chaveiros de qualquer um desses lugares e ter trazido pra gente, só pra constar! Que nada, foi tão querido que trouxe uma correntinha com significado especial e um sapatinho de crochê para minha baby, tudo o que ele trouxe foi "personalizado", pensado na pessoa! Outro exemplo: tenho um amigo que coleciona "pins" do Hard Rock Café. Ele mora na Colômbia! Mesmo assim, onde eu vou, se tem um Hard Rock, compro um pin e mando pelo correio para a coleção dele! Tipo, é uma "lembrança" real, eu lembro especificamente dele porque estou num lugar que me faz lembrar dele! Acho que isso sim tem valor!

Mais exemplos talvez meio bobos para quem se importa com "coisas" materiais, mas que para mim foram especiais nessa minha viagem pra Europa. Em tempos de redes sociais, quando é possível dividir as experiências de uma viagem em tempo real, postei no Facebook que tudo o que eu via ou vivia me fazia lembrar alguém querido! Tá feio o print da página (na verdade, foto da tela) mas foi isso:



Foi muito bacana, quando eu voltei, ouvir do Rodolfo que eu citei aí, que ele adorou ter sido lembrado! Fiquei feliz por ele ter ficado feliz! No lugar dele eu ficaria também, como já fiquei tantas vezes com amigos que estiveram em algum lugar que eu gostaria de estar ou já estive e também fui lembrada em algum post! Acho que isso sim é "lembrança" de viagem, isso vale demais, muito mais do que um chaveiro da Torre Eiffel! Teve uma outra situação na Europa: vi uma latinha de Coca-Cola com o nome da filha de uma amiga. Ok, normal se ela chamasse "Maria", mas é um nome pouco comum aqui no Brasil e por isso com certeza a menina nunca tinha encontrado uma latinha com o nome dela - Nadine. Nem sou próxima dessa amiga, mesmo assim postei a foto da latinha pra ela ver e voltei no mesmo supermercado depois para comprar e trazer para ela! Isso é lembrança de verdade, na minha opinião (se alguém achar uma lata escrito "Lenina" me traz pelamordedeus hahahaha)!

Enfim, resumo da ópera: nessas minhas férias na Europa eu continuava incomodada em trazer chaveirinhos de Paris para quem eu amo, não tínhamos tempo (e muito menos dinheiro!) para comprar algo personalizado para cada pessoa especial... então veio a solução na última parada da viagem! Da Suíça, trouxemos chocolates do outlet da Lindt! Sim, pra mim chocolate suíço tem alma hahahahah bem mais do que chaveiros ou imãs de geladeira, pelo menos! E o melhor: você come, vai à êxtase (melhor chocolate ever) e pronto, não precisa ficar guardando nos armários para - num belo dia de faxina - dar um jeito de se desfazer como acontece com as miniaturas, as camisetas, os chaveiros e afins! Uma pena que nem todos os destinos têm um chocolate como marca do lugar... se tivessem, meus problemas teriam acabado!!!!!!!

Só para encerrar, nada contra quem compra lembrancinhas - eu mesma compro, fazer o que? rs - e nem contra quem curte ou faz questão de lembrancinhas! Essa foi só uma reflexão de quem aprendeu (a duras penas) o que realmente importa nessa vida! Não é chaveiro! Não é presente! Não é coisa alguma que o dinheiro possa comprar!!! Se você for viajar e quiser me trazer uma "lembrança", traga suas experiências de viagem para dividir comigo! Com certeza elas não vão ficar esquecidas num armário qualquer!!!

Beijos e até a próxima!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Relato de viagem - enxoval em Miami

Esse é o relato de uma viagem meio inesperada! Três dias em Miami, na Flórida, para fazer o enxoval da minha bebê! Pouco planejamento, mas muitas descobertas que divido agora com vocês!


PRA COMEÇO DE CONVERSA...

QUEM SOU EU: Começo com aquela introdução que sempre faço no início dos meus relatos e que justificam tudo o que vem a seguir. Sou uma pessoa que AMA viajar, mas NUNCA pra compras. Defendo o turismo como forma de crescimento cultural e pessoal, todas minhas viagens, até então, tinham sido com esse objetivo. Isso até descobrir que estava grávida! Tenho 32 anos, sou casada e eu e meu marido tínhamos acabado de voltar da nossa primeira viagem para Europa quando soube que estava grávida! Num primeiro momento, nem pensei na possibilidade de fazer meu enxoval nos EUA pois tínhamos acabado de voltar de férias... não teríamos nem tempo e nem dinheiro pra outra viagem! Depois, pesquisando os (malditos) preços brasileiros das coisas que eu iria precisar, vi que seria vantajoso fazer umas horas extras no trabalho pra conseguir uns dias de folga e gastar as economias que tínhamos  para fazer essa viagem que encarei como uma necessidade! Um tipo de viagem que não combina comigo, mas que seria uma exceção pela economia que ela iria representar a médio prazo!

VALE A PENA? Essa é a pergunta que me fazia no começo, antes de decidir que iria mesmo embarcar. Tanta gente não tem essa possibilidade e está aí, com o enxoval preparado para a chegada do bebê! Essa pergunta ficou ainda mais intrigante pra mim pelo período em que eu estava pesquisando sobre a viagem, meses em que a alta do dólar batia recorde em cima de recorde. Ainda assim, por duas coisas que eu fazia questão de ter pra minha filha - um bom carrinho de bebê e uma babá eletrônica com monitor - minha pergunta era respondida: sim, vale a pena! Compare o preço desses produtos no Brasil com o valor que se paga nos EUA pela Amazon. Se restar alguma dúvida - como pra mim ainda restava, já que não curto essa coisa de compras - vale uma lida nesta reportagem. Em resumo, ela diz que é preciso que o dólar seja cotado a R$ 14,00 para que passe a não valer a pena esse tipo de viagem. Dá raiva né? Mas é a real, infelizmente! Claro que NADA na vida se aplica igualmente a todas as pessoas, a todas as realidades. Mesmo sendo vantajoso, é uma grana que se gasta para fazer valer a pena, já que se você ficasse por aqui iria comprando aos poucos o enxoval, mês a mês, conforme a necessidade... de lá, para compensar, você já vai trazer tudo o que o bebê vai precisar pelos próximos 12 meses. Então tem que pensar nisso... é um dinheiro considerável que vai de uma vez, em compensação é uma economia que você vai fazer durante um ano inteirinho depois do nascimento da criança! Por isso considere todos os fatores antes de responder a essa pergunta, ela é única para cada um, como tudo na vida! Minha resposta foi que, no meu caso e do meu marido, valeria a pena, como realmente valeu!

POR QUE MIAMI? Pelo que pesquisei e por aquilo que sempre ouço de gente que curte esse tipo de viagem de compras, Miami e Orlando são os lugares onde mais vale a pena comprar nos EUA. As taxas são praticamente as mesma, a oferta de lojas é praticamente idêntica (não sou eu quem está dizendo isso, sou um zero a esquerda pra compras em geral, mas especialistas me garantiram isso mais pra frente explico quais especialistas são essas). Escolhi Miami primeiro porque nunca tinha ido para lá, seria mais uma cidade para eu saber como é. Segundo porque sofreria muuuuito em voltar para Orlando sem ir nos parques e, mesmo que fosse e algum, não poderia me esbaldar nos brinquedos radicais! Para uma viagem meramente de compras, considerei Miami mais adequada para mim!

COMO FAZER VALER MAIS A PENA

O VÔO: Guarde milhas no cartão de crédito se pretende engravidar! Difícil né, afinal, nem toda gravidez pode ser super planejada, a minha veio num momento em que eu não esperava e num período em que as passagens aéreas estavam uma fortuna por conta da alta do dólar. Resultado: para valer MAIS a pena era melhor que só eu ou meu marido viajássemos (depois vou fazer um tópico só disso). Foi só assim para conseguirmos ter ZERO gasto com passagem aérea! As milhas só davam pra um! Pegamos meu bilhete pelo clube de vantagens da TAM e, ainda assim, aos 45 minutos do segundo tempo! Compramos só duas semanas antes do embarque, que foi quando surgiu uma boa promoção! Passagem de graça ou beeeem baratinha é essencial para fazer valer MAIS a pena!

A HOSPEDAGEM: Ok, Miami é sensacional para passear, ficar num resort a beira da praia, com tudo que se tem direito! Mas, como disse, para fazer MAIS a pena essa não deve ser uma viagem de lazer! É claaaro que os endinheirados podem - e devem - ficar vááários dias lá e aproveitar para curtir. Not my case! Tínhamos acabado de voltar das férias na Europa e colocar na cabeça que seria uma viagem exclusivamente de compras me ajudou a nem pensar em turismo! Sendo assim, reservei meu hotel pela Decolar.com, como sempre faço, mas desta vez, nos "filtros"que o site oferece para classificar sua busca eu escolhi "compras". O que mais apareceram foram hotéis próximos ao aeroporto, que realmente têm o melhor preço e mais facilidade pra quem viaja exatamente pra isso. São muuuitos hotéis nesse estilo em Miami com preços bem parecidos. Os critérios que usei para escolher o meu foram os seguintes: 1) procurei um hotel de rede, o que fazia com que fosse mais confiável; 2) com transfer gratuito do aerporto, algo importantíssimo para quem não vai alugar carro desde o primeiro dia; 3) wi-fi free (todo gasto extra tem que ser eliminado, logo, habilitar internet no exterior é algo que eu sempre descarto). Foi assim que escolhi o Holiday Inn Internation Airport Hotel. Por três diárias, paguei um total de U$ 251,16.

PLANEJAMENTO

O ENXOVAL: A definição do destino, a passagem aérea, a hospedagem... tudo fácil até então, tudo dentro daquilo que eu já conheço, já sei como é! Já a partir do momento em que tive que focar no objetivo da viagem, a coisa complicou! Como já disse, sou totalmente contra o consumismo, não ligo pra marcas, tendências, tecnologias, modinhas... e para complicar ainda mais, não tinha a mínima noção do que um bebê poderia precisar, tipo, na prática! Mãe de primeira - e única! - viagem totalmente sem noção!!! Comecei a pesquisar, ler listas de enxovais, relatos de blogs especializados e de cara me dei conta de que aquilo exigiria de mim um "estudo" profundo para conhecer bem cada produto e planejar o roteiro de compras de forma que a viagem realmente valesse a pena! Exatamente como uma viagem de turismo, em que você lê sobre o lugar, pesquisa sua história, descobre o que ele tem de bom para ser visitado, os melhores dias e horários para ir a cada ponto turístico, os passeios que fogem do roteiro óbvio mas que valem a pena, o dinheiro que se gasta em cada atração, o deslocamento de um lugar para outro, enfim, todo o roteiro. Coisa que eu amo fazer! Para mim, esse planejamento já é parte da viagem, vibro demais com isso! Já tem gente que não gosta ou tem preguiça de planejar esse tipo de coisa, gente que prefere viajar com tudo na mão, que prefere ser levado nos lugares sem ter que fazer nada por conta própria... para isso, contratam agências de turismo, compram pacotes prontos, embarcam em excursões ou dependem totalmente de um guia de turismo. Normal, cada um tem seu estilo! No caso de uma viagem de turismo eu não faria isso nem em sonho, maaaas... e para as compras? Como eu faria um planejamento preciso, sendo que não curto fazer isso??? Desde sempre eu já sabia: não quero me tornar especialista em bebês ou nesse mundo da maternidade em que se tem que saber se o bico "x" da mamadeira "y"é o mais adequado ou se a roupinha "z" para usar aos dois meses e meio é mais indicada do que a roupinha "w"... isso não é pra mim, com certeza na prática vou aprender isso tudo, mas pesquisar antes para fazer as compras certas... ah, pra isso eu não tenho saco! Só queria poder ter o melhor e, de preferência, o mais barato para minha filha, sem essa trabalheira de ter que quebrar a cabeça com o assunto! Achei que, ao contrário dos roteiros de viagem que faço e me acrescentam e muito, um roteiro de compras seria algo desgastante demais para mim! Solução: assim como muita gente contrata agentes de turismo, contratei um serviço que eu nem sabia que existia mas que caiu como uma luva pra mim: uma empresa de "personal shopper", um serviço de consultoria especializado em compras de enxoval! Foi ao pesquisar listas de enxoval na Internet que eu vi que esse é um serviço bem comum não só para mães preguiçosas, como eu, mas para aquelas que querem praticidade e os melhores preços nas compras!

MOMMY'S CONCIERGE: Vi o anúncio da Mommy's Concierge em um blog, pedi um orçamento e percebi que, para mim (lembrando SEMPRE que isso vai de cada um), valeria muito a pena! Como funciona: é uma empresa com consultoria em compras de enxoval nos Estados Unidos, é algo bem específico, por isso, bem personalizado! Oferece vários tipos de pacote de acordo com aquilo que você pretende comprar e depois formata para que fique tudo com a sua cara, seu estilo! Como eu viajaria para comprar só o basicão, escolhi um pacote simples de dois dias de compras. O melhor de tudo, para mim: não tive que montar lista de enxoval e nem descobrir sobre as marcas, a importância de cada produto e onde era o melhor lugar de comprar cada um deles. A consultora fez uma reunião comigo via Skype e, a partir do meu perfil, montou uma lista pra mim! Também já me mandou os links dos produtos que sairiam mais baratos comprando antes pela Internet. Ah, isso é muito importante: a consultora fornece o endereço dela mesma para entrega! Normalmente, as mães fazem isso dando o endereço do hotel onde estão hospedadas, que muitas vezes pode cobrar por pacote, fora o risco de ter controle do que foi realmente entregue, enfim. Com essa empresa o serviço é incluso e vc fica bem mais seguro em relação à entrega (vou falar disso mais a frente). Outra coisa muito boa: a consultora te pega no hotel, vai às compras com você e te leva de volta. Perfeito para mim que estaria sozinha e não teria também que pensar em endereços de lojas, deslocamento, nada! Mais uma coisa muito maravilhosa: não ter que ficar caçando nos sites das lojas ou shoppings os cupons de descontos, imprimindo, entendendo como usar, etc. A consultora já leva mil cupons desse tipo que dão um desconto muito maior do que se você imprimisse todos os cupons a que tem direito, afinal, elas estão nessas lojas todos os dias e ganham muitos cupons. Só isso já paga o valor cobrado por esse serviço de personal shopper! Achei tudo isso bom demais e, depois que fechei com a Mommy's Concierge, não precisei pensar em mais nada! Claro que conversei com algumas amigas que são mãezonas (principalmente com a Giovanna que é exemplo de mãe consciente sobre o não-consumismo desenfreado nessa vida, obrigada Gio!) e também dei uma lida em algumas coisas para não chegar lá muito perdida... mas foi só mesmo pra ter uma noção! Algumas das melhores dicas que encontrei estão aquiaqui e aqui (nesse último tem algumas coisas com as quais não concordo, mas é bom porque tem links dos produtos pra vc ver)! Enfim, dei uma olhada nas coisas de forma geral, mas deixei tudo por conta dessa empresa de consultoria que achei uma baita mão na roda pra mim! Até parece coisa de gente fresca né, esse negócio de "personal shopper", mas no meu caso foi mesmo coisa de gente que quer mais agilidade e menos frescurites! No dia-a-dia do relato conto mais detalhes de como foi!

O QUE COMPREI ANTES: Como disse, fui fazer um enxoval básico. Há uma infinidade de produtos que podem ser comprados antes pela Internet, que saem mais baratos e representam mais praticidade do que se comprados lá nas lojas físicas. Eu comprei antes, para ser entregue para a consultora, o carrinho de bebê, o bebê conforto, a babá eletrônica e o termômetro de testa. Foi a própria Mommy's Concierge que já me passou os links das marcas e modelos recomendados para mim de acordo com o que ficou definido na reunião via Skype, nem isso precisei pensar!

O tamanho da minha barriga quando viajei!
VIAJANDO GRÁVIDA: Se a gravidez não for de risco e não tiver complicações, como - ainda bem - não é meu caso, não há problemas em viajar pra longe. Meu médico recomendou que eu fizesse isso antes de completar 28 semanas de gestação. Viajei na vigésima quarta semana.. Para não ter problemas, é bom consultar a companhia aérea que normalmente tem políticas específicas para autorizar a viagem de gestantes. No caso da TAM a norma é essa aqui, então não tive que comprovar nada. Mesmo assim, levei na bagagem de mão meu último ultrasson, que comprovava a idade gestacional, mas nem me pediram! Como já estava de seis meses, para evitar o risco de trombose por conta da pressão do avião e do tempo sentada, meu médico pediu que eu colocasse aquelas meias tipo "kendall" no vôo e tomasse uma injeção sei lá do que antes de embarcar, tanto na ida quanto na volta. Super tranquilo, não senti nada de diferente no vôo por estar grávida, tirando o cuidado de caminhar às vezes no avião para esticar as pernas, foi uma viagem como qualquer outra, nada diferente!

VOCÊ VAI VIAJAR SOZINHA? "Sua louca"! Era a exclamação que vinha depois dessa pergunta que todo mundo me fazia! Minha resposta, precedida e seguida de uma gargalhada era: "Adoro chocar"! Hahahahah! Não era pra ser algo chocante o fato de eu viajar sozinha para comprar o enxoval, mas é normal que as pessoas estranhem... até condenem! Eu, que já estou acostumada a ser julgada, condenada, crucificada por tantas coisas nessa vida (e nessa gravidez!), já apertei o f*%@-se faz tempo! Sabia que só estava indo sozinha porque tinha total e completa condição pra isso, sem colocar em risco nem a minha saúde e nem da minha bebê. Meu marido também sabia disso, caso contrário ele jamais teria concordado com isso! Mesmo assim, poucos dias antes do embarque, essa condenação descabida das pessoas pesou para ele... Sei que ele jamais se perdoaria caso algo desse errado, apesar de nós dois estarmos certos de que tomamos todas as providências para que fosse perfeito! Por isso, peço licença para abrir aqui um parênteses e agradecer meu marido por ter confiado a mim essa missão tão importante! Sei (pelos absurdos que ouvi) que muitos maridos não "permitiriam" isso. Como se, ao casar com alguém, passasse a ser necessário ter esse tipo de permissão. Sei que muitos subjulgariam a capacidade das esposas de se virarem sozinhas, longe de casa. Como se alguém precisasse de outra pessoa, que não de si própria, para dar conta das coisas. Eu me dou muito bem comigo mesma rsrsrs e gosto mesmo de estar sozinha de vez em quando, por que não viajar sozinha para economizar??? Agradeço por ele confiar que eu não abusaria tentando carregar malas pesadas ou algo do tipo, por ele saber que eu teria total condição de lidar com tudo o que pudesse acontecer, por ele saber que - estando ele comigo ou não - vou fazer sempre o meu melhor pela nossa filha!!!! Viajar sozinha - além da economia, que foi o único motivo de ele não ter ido junto - representou muito pra mim. Como se fosse um exemplo que eu e ele damos à nossa Luísa, antes mesmo dela nascer, de que toda mulher pode e deve ser independente, dar a cara a tapa, saber se virar! Seja o que for que os outros digam!

A VIAGEM

TAM INTERNACIONAL: Nunca tinha ido para fora do país de TAM e achei todo serviço muito bom, a começar pelo check-in. Antes mesmo de eu falar, ao olhar meu barrigão, a atendente já me falou que estava me colocando num assento preferencial, com mais espaço! Embarquei no grupo "A", os primeirões a entrar no avião, tive prioridade total em tudo! Achei o serviço de bordo muito bom, o vôo super tranquilo, nada a desejar de outras companhias aéreas com vôos internacionais. Na volta me dei melhor ainda, fiquei naquela parte da frente do avião, não era primeira classe mas também não era aquele aperto da classe econômica, devia ser tipo classe executiva... só sei que era bem confortável e, pra melhorar, a poltrona ao meu lado veio vazia, pude vir quase deitada na volta pra casa! Tive sorte! Como diz uma conhecida que eu admiro muito: "eu tenho mais sorte do que juízo"! Hahahaha adoro!

Meu quarto no Holiday Inn
HOLIDAY INN INTERNATIONAL AIRPORT HOTEL: No aeroporto de Miami é bem fácil achar o lugar onde passam os ônibus e as vans que fazem o transfer de graça para os hotéis. Todos os veículos são identificados com o nome do hotel e o meu não demorou a passar, esperei menos de dez minutos! Do aeroporto até esse hotel a distância é super curta, mais dez minutinhos já estava lá! Quando fiz a reserva, já sabia que o check-in era a partir das 15 horas e eu cheguei lá às 7 horas da matina! Ía pedir só pra deixar as malas lá e ir às compras, mas me deixaram fazer naquela hora mesmo o check-in! Foi ótimo porque pude tomar um banho antes de sair! Apesar de ser um dos hotéis mais baratos que encontrei, o atendimento é ótimo, as instalações são muito boas, grandes, limpas, o quarto também é espaçoso, o chuveiro é bom, tem secador de cabelo potente (super importante para a grávida que não pode fazer escova progressiva antes de viajar hahahah), o café da manhã não era incluso, mas você pode pagar um buffet a parte por U$ 11, o wi-fi free tem sinal bom em todo lugar... pra mim foi perfeito, pra que mais que isso numa viagem de compras???

PRIMEIRO DIA DE COMPRAS

O SERVIÇO DE CONSULTORIA: A Patrícia, consultora da Mommy's Concierge, foi me buscar no hotel já com algumas das encomendas que comprei pela Amazon.com, como o bebê conforto e a babá eletrônica. Aproveito, aqui, para contar a complicação que tivemos com os correios, que fez com que o carrinho não fosse entregue no endereço que eu pedi ao fazer a compra! A Patrícia teve que ir buscá-lo no dia seguinte em um posto dos Correios pra mim! Imagina se eu tivesse pedido pra fazer a entrega no hotel??? Nunca conseguiria descobrir que havia tido um problema com os Correios, jamais saberia ir a um posto dos Correios retirar a encomenda, nossa, foi uma complicação para que a empresa de consultoria resolvesse isso pra mim, coitadas das consultoras! Dei um trabalhão pra elas, mas foi perfeito ter o serviço da Mommy's Concierge para resolver isso pra mim, se não fossem elas eu estava ferrada! Enfim, solucionado esse impasse, saí às compras com a Paty. Ela é uma fofa, uma querida! Entendeu direitinho meu jeito de ser, o que eu queria, minha intenção de fazer a coisa de forma prática e meu total desconhecimento sobre enxoval de bebê, hahahah!

BUY BUY BABY: Nosso primeiro destino foi a loja "Buy Buy Baby", onde compramos a maior parte dos produtos do enxoval. Em resumo, esse primeiro dia de compras foi pra comprar mamadeiras, chupetas, acessórios, brinquedinhos, pomadas, enfim, os produtos que não eram roupinhas! Quando entrei na "Buy Buy Baby", uma super loja bem no estilo megalomaníaco dos americanos, agradeci aos céus por ter a Patrícia comigo! Só a prateleira de "bicos pra mamadeira" já era infinita!!!! Se eu tivesse que "me achar"ali eu ía levar o dia todo! São muuuuitas opções, muitas marcas, muitos tamanhos, uma infinidade absurda de produtos! E eu tinha que comprar mamadeiras e bicos para os primeiros doze meses da minha bebê, para valer a viagem! Com a lista da consultora ela já indica quantidades e tamanhos que vou precisar de cada coisa, só fui escolhendo as cores conforme ela ía pegando os produtos e me explicando para que serviam, por que eram os melhores no custo-benefício e por que eu iria precisar! Perfection! Rodamos a loja inteira fazendo isso, depois das mamadeiras e chupetas fomos pra parte de brinquedinhos de banheira, de pendurar no carrinho, coisas para o carro, bolsa de fraldas, canguru para carregar o bebê, móbile e coisas de berço, pomadas, cremes... aliás, na parte de cremes, ela - que já tinha entendido que eu não ligo nem um pouco pra marcas - me deu uma super dica para substituir o tal creme Mustela, para prevenir estrias, por um outro que era infinitamente mais barato da Palmer's e, segundo ela, tem o mesmo resultado! Esse é meu mundo!!! Tudo o que eu queria! Bom, adiantamos MUITA coisa na "Buy Buy Baby" com uma super agilidade, sem enrolação, do jeito que eu esperava que fosse! Afinal, eram produtos que eu iria precisar e pronto, não tinha muito o que escolher ou ficar em dúvida! A Patrícia sacou direitinho que era isso que era essa praticidade que eu precisava! Claro que com mães mais cheias de frescurites o serviço deve ser totalmente diferente né, é tudo muito personalizado, comigo foi mesmo com a minha cara, o meu jeito! Óbvio que, ainda assim, teve uma coisinha ou outra que estava fora da lista mas eu não resisti, como um conjuntinho da Adidas que estava em mega promoção!!!

Conjuntinho da Adidas, muito fofo e barato!
Carrinho antes de passar no caixa da Buy Buy Baby
























BABY R US: Da "Buy Buy Baby" fomos à "Baby R Us", comprar o restante dos produtos. Foi pouca coisa, só mesmo o que não achamos na primeira loja, compramos umas coisas que jamais imaginei, como protetores para cantos de mesa e para não baterem portas com o risco de prender a mãozinha do bebê. Lá também focamos em mantas, cobertinhas, toalhas, paninhos de boca... tinha uns sapatinhos na promoção que não estavam previstos mas aproveitei! Outra coisa que comprei porque vi os preços no Brasil e aqui custava tipo R$ 800,00 foi um bouncer, que é um balancinho que vibra e toca música, li a respeito do quanto os bebês curtem isso e, lá, paguei a bagatela de U$ 50,00! Fiquei morrendo de medo de não conseguir fazer caber tudo na mala, mas arrisquei, valia a pena demais e era fofo demais!

Bouncer tudo de lindo a U$ 50
Na "Baby R Us" encontramos a Carol, que é outra consultora da Mommy's Concierge, e ela já tinha ido à loja onde eu iria comprar sutiãs de amamentação. Nos avisou que lá não estava valendo a pena o preço, então já aproveitei e comprei isso lá mesmo, naquela loja! Foi ótimo encontrar com ela e trocar umas idéias, elas são mesmo super antenadas em tudo que é sobre enxoval! Finalizamos o dia ali, almoçamos e voltamos voando para o hotel!

ARRUMANDO AS MALAS: Outro motivo para eu ter AMADO a Patrícia: pedi para ela para que corrêssemos porque, coincidentemente (lembrando que eu tenho mais sorte do que juízo!) minha prima que é comissária de bordo estava no mesmo hotel que eu e iria embarcar naquele dia de volta para o Brasil, podendo trazer algumas coisas na mala pra adiantar pra mim! A Paty foi um anjo acelerando tudo para conseguirmos despachar alguns dos produtos mais pesados pela minha prima, ela mesma separou para mim o que pesaria mais na bagagem e que valia mandar por ela!!!! Sendo assim, sobrou uma horinha do meu tempo com a consultora (eu tinha cinco horas por dia com ela, se passasse disso seria cobrado um valor a mais por hora). O que ela fez nessa hora que sobrou e à qual eu tinha direito??? Subiu comigo para o meu quarto e me ajudou a guardar TUDO o que tínhamos comprado! Perfeitaaaa! Comprei duas malas daquelas extensoras, que vão crescendo conforme você abre os zíperes, e ela me ajudou a tirar tooodas as etiquetas dos produtos, toooodas as embalagens, acomodando tudo de forma que não corresse o risco de quebrar ou amassar o que compramos! Assim terminamos esse primeiro dia! Nem saí mais do hotel depois disso porque eu estava "virada", tinha viajado de madrugada na noite anterior e precisava de banho e cama! Apesar de muito corrido e cansativo, dia foi muito produtivo graças a essa consultoria, senão eu juro que tinha surtado!

Porta-malas do carro da Paty lotado no fim do dia
Organizando as coisas na mala, já no hotel
LISTA DE COMPRAS DO DIA: Não vou reproduzir a lista completa de produtos do enxoval que compramos nesse dia porque tem muitas coisas que acabei tirando da lista na hora e outras que incluí durante as compras, mas só para as mamães terem uma idéia, esses foram alguns dos itens básicos desse primeiro dia:

- 2 protetores para colchão a prova d'água
- 4 mantas
- 1 kit de cueiros
- 1 kit envelope (swaddle)
- 1 kit fralda de ombro
- 1 kit fralda grande
- 10 fraldas de boca
- mamadeiras bico ortodôntico (4 grandes / 4 pequenas)
- bicos de mamadeiras (6 médios / 6 rápidos)
- 6 chupetas de cada tamanho
- 1 escovinha para lavar mamadeira
- 3 mordedores
- 4 colheres de silicone
- pote e garrafa térmicos
- 4 babadores de plástico
- 1 espelho para carro
- 1 canguru
- 1 bolsa do bebê
- 1 kit de toalhas a prova d'água para trocador
- 1 naninha
- 1 móbile para berço
- pomada hidratante para seio
- 1 caixa de protetor para seio
- 1 par de bico de silicone
- 1 caixa de conchas para vazamento de leite
- hidratante pós-parto
- brinquedos de borracha
- 4 toalhas
- soothing vapour baby bath
- 1 dedeira para limpar gengiva
- 1 escova de dentes
- 1 pasta de dente sem flúor
- 1 caixa de lencinho para limpar chupeta
- 3 prendedores de chupeta
- 2 kits de protetores para portas
- pomadas para assaduras (prevenção e tratamento)
- Tylenol infantil
- remédio para cólica
- aspirador nasal
- lenço umedecido para resfriado
- pomada para gengiva
- bolsa de água quente pequena
- brinquedos para o cadeirão
- brinquedos para pendurar no carrinho
- tapete de atividades

Ah! Mais uma coisa para eu assinar em definitivo meu atestado de mãe sem noção: como tiramos tudo das embalagens para colocar na mala, fiquei com medo de chegar aqui e não lembrar para que serviam as coisas hahahahah! Aí fotografei, uma a uma, tooodas as embalagens dos produtos que não vinham com manual! Sei lá, precaução de gente louca mesmo!

Uma parte das embalagens que fotografei uma a uma! A louca!
SEGUNDO DIA DE COMPRAS

Nada como ter dormido em terra firme (e não no avião) e estar descansada para o melhor dia das compras: o das roupinhas! A parte de produtos, que comprei no dia anterior, foram coisas que pra mim eram do tipo: "você vai precisar disso"! Já as roupinhas eu sabia que seriam uma delícia de escolher, principalmente para mim, que desde que soube da gravidez não havia comprado sequer UM sapatinho pra minha bebê! Não tinha comprado nada mesmo, seria tudo ali, naquela viagem! Quando a Patrícia chegou para me pegar no hotel já foi um alívio por ver que ela estava com os produtos que faltavam ser entregues pela Amazon.com! Ufa! Santa Patrícia, vou ser grata forever a ela e a Lory por terem resolvido essa pendenga pra mim!

CARTER'S: Do hotel fomos direto para a loja "mais mais" quando se fala em enxoval nos EUA: a Carter's, famosíssima! Só entendi o porquê dessa fama toda quando cheguei lá! Tem TUDO dessa parte de roupinhas com uma qualidade que nunca tinha visto em lugar nenhum e a preços absurdamente compensadores! Digo isso com propriedade porque estou escrevendo esse relato num dia em que acabei de voltar da Feira da Gestante e do Bebê que tem aqui em SP e dei uma olhada nos preços e tipos de roupa para comparar com o que comprei lá nos EUA...! Não dá pra comparar, impossível!

Paty e eu na Carters! A arara atrás de nós é só de roupinhas da Luísa!
Bom, na Carters compramos praticamente tudo da parte de roupinhas! Pelo mês previsto para o nascimento da Luísa foi montada a lista do que seria ideal comprar para quando ela tiver até um ano! Então a Patrícia pegou uma arara com rodinhas (a que está atrás da gente na foto!) e conforme andávamos pela loja ela ía falando a quantidade, por exemplo, de macacões de 0 a três meses: quantos de manga curta, quantos de manga comprida, por que tal modelo era melhor que outro, etc! Fora que ela tem um "olho" pra coisa linda e barata perdida no meio das prateleiras que é uma loucura! Compramos muuuuita coisa fofa, levamos mais tempo que no dia dos produtos, mas não tem nem como comparar né, muito mais gostoso esse segundo dia de compras! Acho que 95% das compras de roupinhas fizemos na Carters, saí de lá carregada!

DADELAND MALL: Nossa próxima parada foi o Dadeland Mall, um shopping onde a Patrícia me levou nas lojas mais badaladas, afinal, apesar de não dar prioridade para coisas de marca, estando lá valia a pena olhar as lojas mais famosinhas! Fora que se eu voltasse sem nada dessas lojas meu marido teria um treco! Ele curte essas coisas bem mais do que eu! A primeira loja em que entrei foi a Gymboree, lá todas as peças estavam por no máximo U$ 16,99! Peguei uma calça jeans super diferente, com uma aplicação de flores na perninha, uma meia calça com saia que era uma fofura, um casaco de pelinho com capuz que também era uma delícia! Depois fomos na Macy's olhar roupas da Polo Ralph Lauren, peguei uns dois vestidinhos e um conjuntinho que foi um dos meus preferidos da viagem pelo tecido perfeito! Por último fomos na GAP Baby, onde também peguei umas poucas coisas, só o que valia meeeesmo a pena! Foi bacana ir nessas lojas fashionzinhas pra ver a diferença de preços mas também os produtos de "patricinha" que existem para bebês hahahaha! Fiquei satisfeita com as compras que fiz também nessas lojas, acho que - com a super ajuda da Patrícia - consegui ser criteriosa pra não pirar mas também não deixar de levar uma coisa ou outra mais bacana, que valia a pena!

ARRUMANDO AS MALAS: Depois que voltei para o hotel, gastei o restante do fim da tarde e começo da noite para arrumar tudo! A recomendação para passar na alfändega é tirar tooodas as embalagens, etiquetas, ufa! Deu trabalho, mas foi muito gostoso arrumar tudo, olhar uma roupinha por uma, imaginar minha Luluzinha dentro delas, essa pra mim foi a melhor parte desses dias de compras, quando sabia que já estava tudo ali e pude pensar no que importa de verdade: ter aquilo que minha bebê vai precisar!

A quantidade de cabides que tirei das roupinhas!
Trabalheira também para tirar as etiquetas!
Tudo arrumado e separado por tamanhos pra ir para as malas! Ufa!
LISTA DE COMPRAS DO DIA: A lista que usamos como base para a compra das roupinhas - que, é claro, teve uma ou outra coisa a mais ou a menos na hora "h" - é essa abaixo. Tem várias coisas que não comprei não, como óculos de sol, também não segui exatamente as quantidades, afinal, a Luísa já ganhou vários presentes desde que descobri que estava grávida, mas no geral foi mais ou menos isso o planejado pelas consultoras da Momy's Concierge para mim:

IDADE POR ESTAÇÃO
Jan/Fev/Mar/Abr
Verão/Outono
1-3 meses
Abr/Mai/Jun/Jul
Outono/Inverno
3-6 meses
Jul/Ago/Set/Out
Inverno/Primavera
6-9 meses
Out/Nov/Dez/Jan
Primavera/Verão
9-12 meses


Descrição
RN até 1 mês
1-3 meses
3-6 meses
6-9 meses
9-12 meses
Body manga curta
1 kit
1 kit
1 kit
1 kit
1 kit
Body manga larga
1 kit
1 kit
Conjuntos de 3 peças
2
2
2
2
2
Macação com e sem pé
2
4
4
3
3
Pijama
3
4
3
4
4
Macacão Verão
1
4
2
2
4
Camisetas Manga Curta
3
2
3
4
Camisetas Manga Comprida
3
2
2
Camisa manga comprida
2
2
2
Shorts
3
2
3
4
Calça jeans
1
2
2
Calcas Diversas
2
4
4
4
Jardineira
1
1
1
1
Vestido
3
4
4
4
Conjunto de Moleton
2
1
1
Casaco de La ou Linha
2
4
4
3
Jaqueta para proteger do vento
1

Meia calça
1
2
2
2
Luvas
1
Gorro / Chapeu / Bone
2
1
Meias
6
6
6
6
6
Sapatinhos e Tenis
1
2
3
3
3
Oculos de Sol
1
Shorts / Blusa com protetor solar para piscina/praia
1
Saida de praia /piscina (roupão)
1

MINHA AVALIAÇÃO DA MONTAGEM DO ENXOVAL: Com o serviço de consultoria, esse pacote de dois dias de compras foi na medida para mim! Não faltou e nem sobrou tempo, usamos exatamente as cinco horas de consultoria em cada um dos dois dias, nem a mais e nem a menos! No restante do tempo eu só arrumei os produtos nas malas e descansei, então foram dois dias usados exclusivamente para a montagem do enxoval! Já se eu fosse fazer tudo sem a personal shopper - além da trabalheira que teria antes para planejar tudo e dos gastos que teria a mais - iria levar muito mais tempo no deslocamento para achar as lojas, ía demorar muito mais dentro de cada loja para localizar tudo, escolher cada coisa, enfim, aí dois dias de compras com certeza seriam insuficientes! Então para quem pretende fazer enxoval em Miami por conta própria, acredito que o ideal sejam quatro ou cinco dias... e muita disposição! Para quem quer agilizar: localize a Buy Buy Baby e a Carter's mais perto do seu hotel e terá resolvido 80% do problema hahahahaha! Nos relatos que li, nas pesquisas que havia feito antes da viagem, encontrei uma infinidade de dicas de lojas, claro que para perfis diferentes do meu elas devem ser interessantes, mas na minha opinião as essenciais são mesmo as duas que citei acima! O restante é supérfluo, vale a pena conferir sim, mas não antes de visitar essas lojas mais básicas! Gente, lembrando que essas minhas observações são para quem vai lá pra economizar mesmo, quem vai pelo glamour do enxoval em Miami ou para passear e aproveitar para fazer compras nem deve considerar o que eu digo, daí os critérios tem que ser outros!!!

DIA LIVRE EM MIAMI!

Siiiim! Mesmo com toda correria das compras, consegui deixar um dia inteirinho para eu curtir um pouquinho a cidade! Não era esse o objetivo da viagem, mas eu não poderia ir até lá e deixar de fazer pelo menos um pouquinho daquilo que eu mais gosto na vida: turismo!

LOCAÇÃO DE CARRO: Decidi alugar um carro porque pesquisei o preço de um táxi do meu hotel até Miami Beach e não compensava! Só a ida até lá sairia em torno de U$ 38,00, enquanto a locação de um carro saía U$ 58,00. Nem pensei duas vezes, pedi o veículo mais básico que a locadora do meu hotel tinha e saí com ele feliz da vida, só depois que voltei que soube que o tal do Elantra não é tão básico assim! Hahahahah sem noção de naaaada a pessoa!

Motorizada e feliz da vida!
O carro que aluguei!
MIAMI BEACH: Coloquei no GPS um endereço qualquer da Colins Avenue e fui que fui! O tempo estimado de viagem do meu hotel até lá era de apenas 15 minutos, mas o trânsito carregado de Miami fez com que eu levasse o dobro do tempo. Ainda assim, achei meia hora dirigindo super tranquilo, até porque quem dirige na loucura de SP acha as avenidonas e estradas dos EUA mamão com açúcar né? Tudo muito bem sinalizado, organizado, foi super tranquilo chegar em Miami Beach! Havia lido sobre a dificuldade em estacionar perto da praia, mas como fui cedo - eram umas 9h30 quando cheguei lá - achei uma vaga bem pertinho! Pedi ajuda para um homem que trabalhava em um hotel para colocar o cartão de estacionamento (tipo nossa zona azul) e pronto, lá estava eu em Miami Beach! A avenida da praia é maravilhosa, chique, o calçadão muito bonito e arborizado, a praia linda, limpa, verde e azul!

Acesso à praia pelo calçadão
Sem filtros, sem retoques... manhã LINDA em South Miami Beach
Sozinha na praia, pensando no motivo da minha passagem relâmpago por Miami!
Que shopping que nada... essa é "minha praia", definitivamente!
Fiquei a manhã toda na praia, bem ao sul de Miami Beach! A temperatura da água estava super agradável, perfeita para refrescar o calorão que fez em todos os dias em que estive na cidade! Depois de ficar na praia andei um pouco no calçadão e voltei para o carro porque ía vencer meu ticket de estacionamento! Dei sorte porque bem nessa hora o tempo começou a fechar! Antes de ir embora de vez, peguei a Ocean Drive e dirigi por ela inteirinha, até o extremo norte! É linda! Tentei fotografar de dentro do carro, mas lá aquele esquema de semáforos sincronizados funciona mesmo! Passei tudo no verde direto! Hahahahah mesmo assim deu pra curtir o visual! Nada que as praias brasileiras deixem a desejar em termos de natureza, mas beira-mar em primeiro mundo é outro nível de limpeza, organização, essas coisas! Não é um super lugar que eu pense: "preciso voltar um dia", tenho milhões de outras prioridades, mas é inegável que é um lugar bacana demais!

AVENTURA MALL: Já tinha esgotado minha lista de compras da Luísa, queria fugir de shopping a todo custo, maaaas precisava de uns lápis e outras coisinhas da MAC e havia lido que tinha MAC nesse mall! Como quis cruzar Miami Beach de ponta a ponta para conhecer, eu estava razoavelmente perto do Aventura mall, então fui! Shopping bem bonito e cheio de lojas badaladíssimas, para quem curte shopping e lojas de marca é um endereço obrigató'río, não é outlet com tudo baratíssimo mas tem de tudo e é super chique! Andei o shopping todo mas só comprei mesmo a maquiagem que precisava, afinal, no money anymore hahahah! Ah, só o que não resisti foi parar na Cheesecake Factory, meu Deus, se ficasse trinta dias nos EUA seriam trinta dias comendo nesse lugar, é minha perdição!!!!

Aventura Mall
Cheesecake Factory: minha perdição em qualquer lugar dos EUA!
Acho que isso já é enfeite de Natal, em pleno outubro!
Muita gordice tirar foto de comida!
ROSS, DRESS FOR LESS: Gente, é o que eu digo pro meu irmão que torce pro "curintia"... a pessoa sai da favela mas a favela não sai da pessoa hahahah! Já disse mil vezes que não ligo pra marcas, afinal, não fui criada com esse costume, não é mesmo importante pra mim esse tipo de coisa... mas sou mulher né, claro que gosto de roupas, sapatos, bolsas, coisas de menina, desde que não vá à falência por causa disso! Nesse meu atual tamanho não tenho vontade de comprar NADA pra mim, nada fica bom, mas quando vi que tinha uma Ross pertinho do Aventura Mall... não resisti, dei um pulinho lá! Detalhe, tinha acabado de sair de um shopping que tinha uma loja especializada em roupas de gestantes, a Destination Maternity, mas tudo o que tinha visto lá achei mega cafona - como toda roupa de grávida! - e o preço não era bom não, não para o meu bolso! Já na Ross... aaaah impossível não achar milhões de coisas baratas e lindas por lá! Para quem não conhece, é tipo uma ponta de estoque com várias marcas misturadas, tem muita coisa nada a ver mas tem MUITA coisa bacana! Comprei por U$ 10,00 uns vestidos em que minha pança cabe, mas que são vestidos normais que posso usar depois que a Luísa nascer! Agora, o "achado" mesmo foi um conjuntinho da Calvin Klein para minha filha, com uma blusa de oncinha e um colete de pelinho por cima, além da calça preta! Bagatela de U$ 11,00! Ross, love ú forever, na pobreza e na pobreza, hahahahah!

Achado da viagem, na Ross!


Ignorei por completo a Destination Maternity
e parti pra Ross!























DOLPHIN MALL: Última noite em Miami, saí para comer alguma coisa - aproveitando que ainda estava de carro - e acabei no Dolphin Mall, que é relativamente perto do hotel onde fiquei hospedada. Assim como o Aventura Mall, esse é um shopping enooorme com lojas de todas as marcas possíveis e imagináveis! Eu havia lido que ele era relativamente novo e que por isso ainda não tinha muitas opções, mas essa informação com certeza é velha porque praticamente todas as lojas estavam funcionando e eu até achei que, para compras, esse shopping é melhor que o Aventura por ter outlets de algumas marcas (não vi isso no Aventura Mall). Bom, como eu não estava lá para comprar não tenho muito a dizer, a não ser que é um shopping enorme e lotado de opções, prato cheio pra quem gosta da coisa!

SOBRE O SAWGRASS MILLS MALL: Só para constar, não posso deixar de falar que NÃO fui no shopping mais falado em todos os relatos de viagens de compras em Miami porque tudo o que eu precisava comprar já tinha encontrado nas lojas onde fui com a consultora, nos outros malls só fui mesmo pra passear, conhecer! Perguntei para a Patrícia sobre esse shopping, já que encontrei muitas referências sobre ele, e o que ela me falou foi que ele é bastante procurado porque tem outlets de várias marcas, é o lugar onde a brasileirada vai pra encher as sacolas mesmo, mas por isso é meio "low profile", foi isso que entendi!!! Quem vai na fissura de comprar horrores esse deve ser mesmo o melhor endereço, não no caso específico de enxovais, mas de compras de forma geral!

HORA DE IR EMBORA!


Tudo nas malas!
BAGAGENS: Tomei todos os cuidados que se deve ter em qualquer viagem em relação a identificação das bagagens, a preocupação em não ultrapassar em 32 quilos o peso de cada mala, etc. Li algumas dicas bacanas em relação a acomodação das compras de enxoval na mala nesse post. Eu preferi colocar tudo nas malas de nylon com extensor a transportar caixas, achei que as caixas chamariam mais atenção do que essas mega sacolas. Enfiei tudo nelas e em outra mala que eu havia levado: carrinho, bebê conforto, bouncer, tapete de atividades, coube tudo lá dentro! Tinham me dito que vc não se pode aumentar essa super mala até o limite, mas não confere essa informação! Abri até o último zíper para estender a mala e não houve restrições. Como estava sozinha, não teve jeito: já sabia desde o começo que pagaria por uma mala extra, pesquisando descobri que valia mais a pena financeiramente pagar por essa mala extra do que ultrapassar o limite !dos 32 quilos nas outras duas malas. Foi a única desvantagem de viajar sozinha, se estivesse com alguém esse alguém poderia trazer também dois volumes para serem despachados. Mesmo assim deu tudo certo!

ALFÂNDEGA: Chegando no Brasil, duas das minhas malas passaram rapidinho pela esteira... mas a terceira demorou uma vida! Resultado: passei sozinha pela Polícia Federal, não tinha mais quase nenhum passageiro desembarcando naquela hora e aí me pararam! Visivelmente grávida, o policial me perguntou se o que eu estava carregando era apenas para o meu bebê. Eu disse que sim, ele perguntou quanto havia gastado com o carrinho de bebê e com o bebê conforto, falei que tinha sido menos de U$ 500,00 - essa é a dica rsrsrs. Graaaaças aos céus eu já tinha despachado a babá eletrônica pela minha prima e, por isso, não tive que mentir quando ele perguntou se eu tinha eletrônicos nas malas! Por fim, pediu que eu passasse as malas no scanner e me liberou! Ufa! Uma amiga que foi recentemente também teve que passar a bagagem pelo scanner, deve ser praxe isso, mas normalmente acho difícil dar algum problema! Cheguei em casa sã e salva com todo o enxoval da minha Luísa, que chegou intacto: nada quebrou, nada amassou, nada teve problemas! Ufa, mil vezes ufa!!!

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O QUE EU TERIA FEITO DIFERENTE: Nada! O serviço de consultoria foi realmente o ideal para mim, com a minha cara: sem dor de cabeça, sem exigir muita pesquisa, com a maior praticidade e a maior economia! Se eu curtisse compras, shoppings e bateção de perna de loja em loja teria me planejado da seguinte forma (lembrando que esse é o jeito "pobrinho" de pensar, buscando economizar ao máximo): iria primeiro de tudo em lojas como Target, Ross, Walmart e nos outlets do próprio Sawgrass Mills Mall para garimpar o mais mais mais barato! Depois iria na Carter's e na Buy Buy Baby comprar o "grosso", aquilo que exige quantidade e por isso não se encontra nos "sacolões"! Só! É o suficiente para montar um enxoval bom e barato em Miami! Se sobrasse algum din din, aí sim: Dadeland Mall, Dolphin Mall, Aventura Mall para ir nas lojas de marca que têm a linha "baby". Essa é minha dica de roteiro para quem vai por conta própria, lembrando sempre que - para isso - é preciso ter uma lista bem definida de compras para não se perder nos gastos e nas quantidades!!! Trabalhoso, mas não impossível!!! Para quem curte, Miami definitivamente é o lugar perfeito pra isso!!!

PARA ENCERRAR: Todo mundo me pergunta: "e aí, foi legal a viagem?". Não sei se "legal" é o que define essa minha experiência, continuo não curtindo esse tipo de viagem apesar de ser a prova viva de que vale muito a pena financeiramente! Foi totalmente diferente, por exemplo, de quando fui para Orlando e aproveitei para comprar algumas coisas... quando fui para Las Vegas e também não deixei de aproveitar aquilo que valia a pena pelo preço... mas essa coisa de viajar SÓ pra comprar foi bem cansativa e pouco atrativa pro meu gosto! Valeu a pena, mas cansou! Mesmo assim, teria feito de novo e de novo e de novo no caso da montagem do enxoval! Agora estou despreocupada em relação a isso! Só arrumando o quartinho e contando os meses, dias, os minutos para minha filha chegar e para que nossa próxima viagem juntas vá muito além das compras!

Beijos e até a próxima!